Porque a torcida do Vasco tem tudo pra voltar a ser a maior do Rio

Considerando que o clube consiga voltar a ser uma selevasco, um novo expresso da vitória, com novos craques, uma nova geração vencedora, o Vasco tem uma história como nenhum outro clube mundial, um clube que tem uma raíz social forte, entre operários e negros, porque foi o primeiro clube brasileiro a dar uma resposta concreta e histórica de inclusão. Atualmente, fez diversas campanhas em respeito à diversidade sexual e pela inclusão das mulheres. Tem uma grande margem de crescimento de sua torcida nos próximos anos. A torcida vascaína já foi a maior do Rio de Janeiro e pode voltar a ser em breve. O Vasco pode fazer algo como um levantamento do tamanho da sua torcida, por todo o Brasil, por meio de um cadastro nacional, incluindo os não sócios. Vamos, Vasco, a sua torcida é gigante e é o Time da Cruz de Cristo, o time que tem também uma história religiosa e católica.

Alguns apelidos históricos de jogadores do Vasco da Gama

Adão Antônio Brandão “Brandãozinho”;

Nélson da Conceição “Choffeur”;

Fausto “Maravilha Negra”;

Leônidas da Silva “Diamante Negro”;

Danilo Alvim “o príncipe”;

Lelé, Isaías e Jair Rosa Pinto “Os três patetas”;

Ademir de Menezes “Queixada”;

Osvaldo Alfredo da Silva “Osvaldo Baliza”;

Vavá “peito de aço”;

Pacoti “Pelé branco”;

Walfrido “espanador da lua”;

Walter Machado da Silva “Silva Batuta”;

Orlando Lelé “canhão da colina”;

Dirceu “formiguinha”;

Andrada “El gato”;

Dé Aranha;

Roberto “Dinamite”;

Luís Carlos “Tatu”;

Elcir Andrade Branco “Katinha”;

Geovane “pequeno príncipe”;

Luiz Edmundo Lucas Corrêa “Cocada”;

Romário “Reimário” “chapa quente”;

Edmundo “animal” “bacalhau”;

Valdir “Bigode”;

Carlos Germano “São Germano”;

Felipe “maestro “;

Juninho “reizinho”;

Mauro Galvão “Capitão América”;

Odvan “zagueiro zagueiro”;

Donizete “pantera”

Euller “filho do vento”;

Juninho Pernambucano, Juninho Paulista, Euller e Romário “quarteto fantástico”;

Marcelinho Carioca “pé de anjo”;

Dodô “é o poder”;

Fernando Prass “muralha da colina”;

Alecsandro “Alecgol”;

Éder Luís “neto do vento”;

Luís Fabiano “fabuloso”;

Dedé “Dedeckenbauer” “mito”;

Thalles ‘Balothalles’;

Kléber “gladiador”;

Riascos “matador de urubu”;

Tenório “demolidor”;

Ribamar “Ribagol”;

Talles Magno “Talles Mágico”;

Benítez “Ben 10”;

Matias Galarza: “Modric da Colina”;

Thiago Rodrigues “Batman da Colina”;

Edmar “Edmáquina”.