Todos os jogadores do Vasco ganhadores do Prêmio Bola de Prata do Campeonato Brasileiro de Futebol Masculino Profissional (melhores por posição)

1970: Andrada (goleiro),

1974: Miguel (zagueiro),

1977: Marco Antônio (lateral),

1978: Paulinho (atacante),

1979: Roberto Dinamite (atacante),

1981: Roberto Dinamite (atacante),

1984: Roberto Costa (goleiro)

1984: Ivan (zagueiro),

1984: Pires (volante),

1984: Roberto Dinamite (atacante)

1987: Mazinho (lateral),

1988: Mazinho (lateral),

1988: Vivinho (atacante),

1989: Mazinho (lateral),

1989: Bismarck (atacante),

1992: Alexandre Torres (zagueiro),

1992: Bebeto (atacante),

1997: Carlos Germano (goleiro),

1997: Mauro Galvão (zagueiro),

1997: Edmundo (atacante),

2000: Juninho Paulista (meia),

2000: Juninho Pernambucano (meia),

2000: Romário (atacante),

2002: Ramon (meia),

2003: Marcelinho Carioca (meia),

2004: Petkovic (meia),

2007: Leandro Amaral (atacante),

2011: Fernando Prass (goleiro),

2011: Dedé (zagueiro)

Década de 1970: 5 premiações

Década de 1980: 10 premiações

Década de 1990: 5 premiações

Década de 2000: 7 premiações

Década de 2010: 2 premiações

Década de 2020: nenhuma premiação (década em andamento)

Total das décadas: 29 premiações Bola de Prata (jogadores do Vasco)

Jogador vascaíno com mais conquistas consecutivas: Mazinho (1987, 1988, 1989)

Total de premiações Bola de Prata por posição (jogadores do Vasco):

Goleiros (4): Andrada, Roberto Costa, Carlos Germano, Fernando Prass

Zagueiros (5): Miguel, Ivan, Alexandre Torres, Mauro Galvão, Dedé

Laterais (4): Mazinho (3 vezes), Marco Antônio

Volante (1): Pires

Meias (5): Juninho Paulista, Juninho Pernambucano, Ramon, Marcelinho Carioca, Petkovic

Atacante (10): Paulinho, Vivinho, Roberto Dinamite (3 vezes), Bismarck, Bebeto, Edmundo, Romário, Leandro Amaral

Premiações do Setor defensivo (total: 14): goleiros (4), zagueiros (5), laterais (4), volante (1)

Premiações do setor criativo/ofensivo (total: 15): meias (5), atacantes (10)

Edmundo e Romário (maiores vencedores vascaínos, em um único ano, do Prêmio Bola de Prata do Campeonato Brasileiro de Futebol)

O Prêmio Bola de Prata, criado em 1970, homenageia os melhores do Campeonato Brasileiro de Futebol Masculino, ao término de cada temporada. Edmundo, no ano de 1997 e Romário, em 2000, ambos jogando pelo Vasco da Gama, ganharam a bola de ouro (melhor jogador), a bola de prata (melhor jogador por posição) e a artilharia (“chuteira de ouro”) dessas edições.

Dos 11 melhores jogadores brasileiros de todos os tempos, 10 jogaram pelo menos uma partida pelo Vasco

Moacir Siqueira de Queiróz “Russinho”,

Leônidas da Silva (Diamante Negro/Homem Borracha),

Heleno de Freitas (Gilda),

Zizinho (Mestre Ziza),

Ademir de Menezes (o Queixada),

Guarrincha (o anjo das pernas tortas),

Pelé (Pérola Negra),

Zico (galinho de Quintino),

Roberto “Dinamite”,

Romário (baixinho),

Ronaldo “Fenômeno” (não chegou a jogar com a camisa do Vasco)

Pelé e Tostão, em comum, gols contra o Mengo pelo Vascão

26/06/1957: Combinado Vasco/Santos 1 x 1 Flamengo (gol de Pelé com a camisa do Vasco) (Torneio Internacional do Morumbi) (Estádio: Maracanã)

Pelé: 4 jogos e 6 gols pelo Combinado Vasco/Santos (5 gols com a camisa do Vasco, sendo 1 em jogo diante do Flamengo)

10/02/1973: Vasco 1 x 0 Flamengo (gol de Tostão) (Campeonato Carioca) (Estádio: Maracanã)

Tostão: 44 jogos e 7 gols com a camisa do Vasco (um dos gols, em jogo diante do Flamengo)

Total de gols de Pelé/Tostão com a camisa do Vasco da Gama (Gigante da Colina): 12 gols (2 gols diante do Flamengo, 1 de Pelé e 1 de Tostão).

Ademir de Menezes: o homem gol do Expresso da Vitória

O maior goleador do Expresso da Vitória (da locomotiva de gols do Gigante da Colina), Ademir de Menezes, do emblemático esquadrão vascaíno dos anos 1940/1950, é um dos maiores jogadores da história do Vasco da Gama e do Brasil, em todos os tempos. Assim como outros ícones com passagem pelo Vasco, com suas esculturas na Vila Belmiro (Pelé), no Maracanã (Bellini) e em São Januário (Romário), Ademir de Menezes também foi lembrado com a sua escultura, na Sede do Sport (PE), localizada na Praça do Giradouro, na sua cidade natal, Recife. Outros jogadores com história no Cruzmaltino também já foram homenageados com suas esculturas, Telê Santana (Itabirito/MG) e Heleno de Freitas (São João Nepomuceno/MG).

Lances históricos de jogadores do Vasco (passe/gols de letra)

Em 2003, na final do Campeonato Carioca, um belo passe de letra de Léo Lima, na jogada do gol do título vascaíno sobre o Fluminense, no Maracanã. Em 2018, um bonito gol de Riascos para o Vasco da Gama em jogo diante do Botafogo, pelo Campeonato Carioca e já em 2020, um lindo gol de letra de German Cano sobre a equipe do Oriente Petrolero, pela Copa Sulamericana e no mesmo ano, golaço de letra de Lucas Ribamar no jogo contra a equipe do Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro. A beleza do futebol arte tem de continuar.