Campo do Andarahy: o campo que o Vasco utilizava antes de São Januário

Antes da inauguração de São Januário em 1927, o Vasco utilizava, para os seus jogos, o tradicional Campo do Andarahy. Outros lugares já utilizados pelo Vasco para seus jogos ou treinos, nos primeiros anos do futebol, foram o Campo da Rua Barão de Itapagipe e da Rua Morais e Silva. O Vasco mandou muitos dos seus jogos iniciais também nos campos do Botafogo (General Severiano) e do Fluminense (Laranjeiras).

Todos os goleiros do Vasco da Gama (por ordem alfabética)

Acácio (1982 a 1991), Alessandro (2010 a 2015), Alexander (2019 a 2022), Alexandre Lopes (1991), Amaral (1927), Amauri (1966), Andrada (1969 a 1975), Ary Correia (1916 a 1917), Azevedo (1916), Azul (1995 a 1998), Barbosa (1945 a 1955), Barcheta (1944 a 1948), Barroso (1919), Cadu (2021 a 2022), Caetano (1992 a 1999), Carlos Alberto Cavalheiro (1951 a 1957), Carlos Germano (1990 a 1999), Carlos Henrique (1974), Casemiro (1918), Cássio (2004 a 2007), Charles (2015 a 2016), Chiquinho (1940 a 1941), Cláudio (1986 a 1987), Dico (1994), Diogo Silva (2011 a 2016), Edson Borracha (1967), Élcio (1970), Elinton (2005), Erivelton (2005), Ernani (1951), Errea (1968), Everton (2004 a 2005), Fábio (2000 a 2004), Fabiano Borges (2005), Fernando Miguel (2018 a 2021), Fernando Prass (2009 a 2012), Fintelman (2020 a 2021), Flávio Tênius (1988), Franz (1967), Gabriel Félix (2015 a 2020), Gainete (1965), Gilmar Rinaldi (Combinado Vasco/Flamengo em 1992), Halls (2020 a 2022), Hélio (1955 a 1959), Hélton (1998 a 2002), Herrera “Pablo” (1954 a 1955), Humberto Torgado (1959 a 1965), Ita (1960 a 1965), Jaguaré (1928 a 1931), Jair (1979 a 1981), Jair Bragança (1978), Joel (1937 a 1938), Joélcio (1960), Jonas (1972 a 1973), Jordi (2014 a 2020), Jorge Hipólito (1969 a 1970), Leão (1978 a 1980), Lévis (1964 a 1965), Lucão (2020 a 2021), Lulu (1918), Manga (Combinado Vasco/Santos em 1957), Marcelo (1963 a 1964), Márcio Cazorla (1991 a 2005), Marques (1932), Martinho (1946), Martín Silva (2014 a 2018), Matheus Cabral (2018), Maurílio (1977), Mauro (1975 a 1976), Mazaropi (1974 a 1984), Michel Alves (2013 a 2014), Miguel Cavalier (1920), Miguel de Lima (1955 a 1962), Miltão (1964), Nascimento (1939 a 1940), Nélson da Conceição (1919 a 1927), Nicolau (1917), Nielsen (1981), Odorico (1918), Oncinha (1943 a 1944), Orlando (1983), Osvaldo Baliza (1953), Panello (1935 a 1936), Patrick (2022), Paulo César “Gusmão” (1982 a 1988), Paulo Sérgio (1986), Pedro Paulo “Pêpa” (1964 a 1973), Quarenta II (1934 a 1935), Rafael (2008 a 2009), Régis (1985 a 1992), Rey “Rei” (1933 a 1938), Roberto (1942 a 1944), Roberto Costa (1983 a 1984), Roberto Volpato (2005 a 2008), Rodrigues (1945), Rollim (1931 a 1932), Sidão (2019), Silvio Luiz (2007), Tadic (2004), Thiago Moraes (2018), Thiago Rodrigues (2022), Tiago Campagnaro (2008 a 2010), Tião “Sebastião Rocha” (1966), Valdemar (1928 a 1932), Valdir Appel (1966 a 1971), Vanderlei (2021 a 2022), Victor González (1954 a 1955), Wagner (1956 a 1957), Walter (1942), Wendell (Combinado Vasco/Botafogo em 1977), Wiggand (1918), Yustrich (1944 a 1945), Zé Luiz (1975 a 1978), Zé Tainha (1959).

Total: 114 goleiros

A primeira grande polêmica da rivalidade histórica no Clássico dos Milhões

No último jogo do Campeonato Carioca de 1923, o Vasco da Gama chegou à última rodada invicto, na sua primeira participação na série A do estadual. No entanto, na última partida, o já badalado Vasco x Flamengo, que mais tarde se transformaria no Clássico dos Milhões. O Flamengo venceu por 3 a 2, mas a equipe vascaína reclamou de um gol que teria sido anulado erroneamente, que daria o empate e a conquista invicta ao Vasco. Era o começo de uma rivalidade histórica, recheada de jogos polêmicos e de grandes embates em torneios internacionais e nacionais.

Rollim (goleiro): primeiro jogador vascaíno na história a se transferir para o Flamengo

O goleiro Rollim, que defendeu as cores do Vasco da Gama nos anos de 1931 e de 1932, foi o primeiro jogador vascaíno na história a se transferir para o Flamengo, no ano de 1933. Outro goleiro que anos depois trocaria o Vasco pelo Flamengo foi Barchetta, que atuou pelo Vasco de 1944 a 1948, antes de se transferir para o Flamengo, no ano de 1949.