Maiores goleadas dos clássicos (tríplice coroa)

As maiores goleadas dos clássicos do Vasco com Flamengo, Fluminense e Botafogo são do Gigante da Colina, 7 x 0 (maior goleada do Clássico dos Milhões, Vasco x Flamengo, no ano de 1931), 6 x 0 (maior goleada do Clássico dos Gigantes, Vasco x Fluminense, no ano de 1930) e 7 x 0 (maior goleada do Clássico da Amizade, Vasco x Botafogo, no ano de 2001) e 6 x 0 (segunda maior goleada) em 2010.

Jogadores convocados para a Seleção Brasileira em copas do mundo que jogaram ou treinaram o Vasco antes, no mesmo ano ou em anos posteriores e convocados para outras Seleções com passagem pelo Vasco

Copa 1930:

Itália: Zagueiro (campeão carioca pelo Vasco em 1929, 1934 e 1936, do Torneio Início de 1929, 1930, 1931 e 1932)

Fausto: volante (o maravilha negra, campeão carioca de 1929 e 1934 pelo Vasco), capitão do Vasco e da Seleção Brasileira, o primeiro capitão da Seleção Brasileira em Copas.

Russinho: atacante (um dos maiores artilheiros da história do Vasco), campeão carioca pelo Vasco em 1924, 1929 e 1934)

Oscarino: meia (campeão carioca em 1936)

Copa 1934

Leônidas da Silva: atacante (popularizou a jogada de “bicicleta” no futebol brasileiro e mundial), campeão carioca de 1934 pelo Vasco.

Tinoco: meia (campeão carioca de 1929 e 1934 pelo Vasco)

Sylvio Hoffman: lateral direito/zagueiro (iniciou a carreira no Vasco em 1925, jogando no Vasco até 1926)

Copa 1938

Walter de Sousa Goulart: goleiro (jogou no Vasco no ano de 1942)

Domingos da Guia (da “Domingada”, jogada de classe): zagueiro (pai de Ademir da Guia), campeão carioca de 1934 pelo Vasco.

Hermínio de Britto: zagueiro (atuou no Vasco nos anos de 1940 e 1941)

Argemiro Pinheiro da Silva: meia (campeão carioca de 1939 e 1944 pelo Vasco)

Leônidas da Silva (Diamante Negro): atacante (campeão carioca de 1934 pelo Vasco)

Niginho: atacante (jogou no Vasco de 1937 a 1938)

Jaú: zagueiro (jogou no Vasco de 1938 a 1941)

Tim (treinou o Vasco e foi campeão carioca de 1970): atacante

Copa 1950

Barbosa: goleiro (campeão sulamericano em 1948 pelo Vasco, Carioca em 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1958), campeão do Torneio Início de 1948, do Rio São Paulo de 1958, Municipal em 1947, 1948, do Torneio Quadrangular do Rio de 1953, do Torneio de Santiago do Chile em 1953, do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Augusto: zagueiro (campeão carioca de 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, sulamericano em 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953 pelo Vasco)

Ely do Amparo: meia (Campeão Carioca de 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, Sulamericano de 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Danilo Alvim: volante (Campeão Carioca de 1947, 1949, 1950 e 1952, Sulamericano de 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Alfredo Eduardo Ribeiro Mena Barreto (lateral esquerdo, zagueiro, volante ou meia): jogou pelo Vasco em 1942.

Ademir de Menezes: atacante (um dos maiores goleadores do Brasil em copas), Campeão Carioca de 1945, 1949, 1950 e 1952, Sulamericano de 1948, do Torneio Relâmpago de 1944, do Torneio Municipal de 1944, 1945, do Octogonal do Chile de 1953, do Quadrangular do Rio de 1953 e do

Alfredo dos Santos (Alfredo II): volante, lateral,meia e atacante (Campeão Carioca de 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, Sulamericano de 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Chico: atacante (Campeão Carioca de 1945, 1947, 1949, 1950 e 1952 e Sulamericano de 1948 pelo Vasco)

Friaça: atacante (um dos maiores goleadores da história do Vasco), Campeão Carioca de 1945 e 1947, Torneio Municipal de 1946 e 1947, do Torneio Relâmpago de 1946 e do Sulamericano de 1948)

Maneca: atacante (Campeão Carioca de 1947, 1949, 1950 e 1952, Sulamericano de 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Jair Rosa Pinto: atacante (Campeão Carioca de 1945 pelo Vasco)

Zizinho (atuou duas vezes pelo Vasco, pelo Torneio Atlântico de 1955, competição Internacional e chegou a treinar o Vasco, nos anos de 1967 e 1972)

Flávio Costa: técnico (treinador do Expresso da Vitória, onde conquistou o título do Sulamericano de Clubes Campeões de 1948, do Carioca de 1947, 1949, 1950, 1952, do Torneio Início de 1948, do Torneio Municipal de 1947, do Torneio Internacional do Rio de Janeiro de 1953, do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953 e do Torneio Cinquentenário da Federação Pernambucana de Futebol de 1965)

Copa 1954

Paulinho de Almeida: lateral direito (Campeão Carioca de 1956, 1958 e do Rio São Paulo de 1958, também treinou o clube em 1968)

Ely do Amparo: meia (Campeão Carioca de 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, do Sulamericano de 1948 e do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953)

Pinga: atacante (Campeão Carioca de 1956, 1958 e do Rio São Paulo de 1958, do Torneio de Paris de 1957, também treinou o Vasco, em 1969)

Rubens: atacante (Campeão Carioca de 1958 e do Rio São Paulo de 1958)

Mauro Raphael (Maurinho): atacante (jogou no Vasco em 1963)

Zezé Moreira: treinador (Campeão da Taça Guanabara de 1965 e do Rio São Paulo de 1966 como treinador do Vasco)

Copa 1958

Guarrincha: lateral esquerdo (jogou 1 partida e fez 1 gol com a camisa do Vasco em 1967)

Bellini: zagueiro (Campeão Carioca de 1952, 1956, 1958, do Torneio Internacional de Santiago de 1953, do Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953, do Quadrangular Internacional do Rio de 1953, do Triangular Internacional do Chile de 1957, do Torneio Quadrangular de Lima de 1957 e do Rio São Paulo de 1958, foi o capitão que ergueu a taça da Copa do Mundo de 1958, pela Seleção Brasileira)

Orlando Peçanha: zagueiro (Campeão Carioca de 1956, 1958, do Torneio Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer de 1953, do Torneio de Paris de 1957 – Status de Mundial de Clubes, do Triangular Internacional do Chile de 1957)

Zagallo: atacante (já treinou o Vasco, sendo campeão da Taça Gustavo de Carvalho de 1980, do Torneio Colombino de 1980, do Torneio João Havelange de 1981, do Torneio Ilha de Funchal de 1981, da Taça Ney CIdade Palmeiro de 1981, da Taça Adolpho Bloch de 1990 e do Torneio da Amizade de 1991)

Pelé (jogou pelo combinado Vasco/Santos em 1957, anotando 5 gols com a camisa do Vasco)

Vavá: atacante (um dos maiores goleadores da história do Vasco, sendo campeão do Carioca de 1952, 1956, 1958, do Torneio de Paris de 1957 – status de Mundial de Clubes e do Rio São Paulo de 1958)

Copa 1962

Jair Marinho: zagueiro ou lateral direito (jogou no Vasco em 1967)

Bellini: zagueiro (não participou do título do Torneio de Paris de 1957, nem da conquista do Tereza Herrera de 1957, mas participou do Torneio em que Pelé jogou com a camisa do Vasco, em 1957, pelo combinado Vasco/Santos)

Pelé: atacante (jogou 4 jogos e fez 5 gols com a camisa do Vasco, no combinado Vasco/Santos)

Vavá: atacante, um dos principais jogadores do Vasco no título do Torneio de Paris (status de Mundial de Clubes) de 1957.

Amarildo: atacante (Campeão Brasileiro de 1974 pelo Vasco)

Guarrincha: lateral esquerdo (jogou uma partida e fez 1 gol jogando pelo Vasco)

Zagallo: atacante (conquistou 4 títulos mundiais com a Seleção Brasileira, foi treinador do Vasco nos anos 1980/1990, conquistando vários troféus pelo clube)

Copa 1966

Bellini: Zagueiro (um dos maiores zagueiros da história do futebol brasileiro, em frente ao Maracanã tem uma estátua em sua homenagem)

Fidélis: lateral direito (Campeão Carioca de 1970 e Brasileiro de 1974 pelo Vasco)

Brito: zagueiro (Campeão Carioca de 1956 e do Rio São Paulo de 1966 pelo Vasco)

Orlando Peçanha: zagueiro campeão do Torneio de Paris de 1957 (status de Mundial de Clubes) pelo Vasco

Tostão: atacante (jogou pelo Vasco nos anos 1972/1973 e fez 6 gols com a camisa do Vasco)

Pelé: atacante (autor de 1 gol histórico jogando com a camisa do Vasco, no combinado Vasco/Santos, contra o Flamengo, tendo feito mais de 1000 gols na carreira, sendo o milésimo contra o seu time de coração, o Vasco, no Maracanã)

Walter Machado da Silva: atacante (Campeão Carioca de 1970 pelo Vasco)

Copa 1970

Leão: goleiro (jogou no Vasco de 1978 a 1980)

Marco Antônio: lateral esquerdo (Campeão Carioca de 1977, da Taça Guanabara de 1976, 1977, do Torneio Cidade de Sevilha de 1979, do Torneio Cidade de Elche de 1979 e do Torneio Colombino de 1980)

Brito: zagueiro (Campeão Carioca de 1956 e do Torneio Rio São Paulo de 1966 pelo Vasco)

Fontana: Zagueiro (Campeão da Taça Guanabara de 1965 e do Torneio Río São Paulo de 1966 pelo Vasco)

Paulo César Caju: meia e ponta esquerda (Campeão do Troféu Colombino de 1980 pelo Vasco)

Tostão: atacante (jogou pelo Vasco em 1972/1973 e fez 6 gols com a camisa do Vasco)

Pelé: atacante (jogou pelo Vasco ainda com 17 anos, pelo combinado Vasco/Santos, marcando 5 gols no Maracanã)

Zagallo: treinador (não jogou no Vasco, mas treinou o clube em 2 ocasiões, nos anos 80 e nos anos 90, ganhando títulos pelo clube)

Copa 1974

Leão: goleiro (jogou pelo clube de 1978 a 1980)

Renato da Cunha: goleiro (treinador de goleiros do Vasco em 1988 a 1989)

Marco Antônio Feliciano: lateral esquerdo (1976-1980): lateral esquerdo

Paulo César Caju: atacante (jogou no Vasco em 1980)

Dirceu: meia e ponta esquerda (Campeão Carioca de 1977 e 1988 pelo Vasco)

Zagallo: treinador (multicampeão pela Seleção Brasileira e por diversos clubes, tendo treinado o Vasco na década de 1980 e de 1990, conquistando várias taças como treinador do clube)

Copa 1978

Leão: goleiro (jogador do Vasco nos anos de 1978 a 1980)

Abel Braga: zagueiro (Campeão da Taça Guanabara e do Campeonato Carioca de 1977 pelo Vasco, tendo vencido vários troféus também como treinador do Vasco)

Dirceu: meia e ponta esquerda (Campeão Carioca de 1977 e 1988 pelo Vasco)

Roberto Dinamite: atacante (o maior goleador da história do Vasco, sendo também o jogador que mais vezes vestiu a camisa do Vasco)

Zico: meia (jogou com a camisa do Vasco na despedida de Roberto Dinamite do futebol em 1993)

Jorge Mendonça: atacante (jogou no Vasco em 1980)

Zé Sérgio: atacante (Campeão do Carioca de 1987 pelo Vasco)

Cláudio Coutinho: treinador (já treinou o Vasco)

1982

Roberto Dinamite: atacante (jogador com mais gols e mais jogos com a camisa do Vasco)

Zico: meia (jogou pelo Vasco em 1993, em partida amistosa, na despedida de Roberto Dinamite dos gramados, em jogo contra o Deportivo La Coruna-ESP)

Dirceu: meia e ponta esquerda (Campeão Carioca de 1977 e 1988 pelo Vasco)

Júnior: lateral esquerdo e meia (jogou com a camisa do Vasco em 1992, em um combinado Vasco/Flamengo contra o combinado Palmeiras/Corinthians

Paulo Sérgio: goleiro (jogou pelo Vasco no ano de 1986)

Juninho Fonseca: zagueiro (Campeão da Taça Guanabara de 1986 pelo Vasco)

Edevaldo: lateral direito (Vice Campeão Brasileiro de 1984 pelo Vasco)

Pedrinho: lateral esquerdo (Campeão do Carioca de 1982 pelo Vasco)

Telê Santana: treinador (ex jogador do Vasco, nos anos 1962/1963)

Copa 1986

Leão: goleiro (Vice Campeão Brasileiro de 1979, pelo Vasco)

Júnior: lateral esquerdo e meia (jogou com a camisa do Vasco em 1992, em jogo amistoso do Combinado Vasco/Flamengo contra o combinado Corinthians/Palmeiras)

Mauro Galvão: zagueiro (tem como principal conquista com a camisa do Vasco o título da Copa Libertadores de 1998, no ano do centenário)

Silas: atacante (Campeão do Carioca de 1994 pelo Vasco)

Zico: meia (jogou pelo Vasco em 1993, em um jogo amistoso do Vasco contra o Deportivo La Coruna-ESP, na despedida de Roberto Dinamite dos gramados)

Telê Santana: treinador (ex jogador do Vasco, nos anos 1962/1963)

Copa 1990

Jorginho: lateral direito (Campeão como jogador do Vasco nos anos 2000/2001 e como treinador, no ano de 2016)

Ricardo Gomes: Zagueiro (Campeão da Copa do Brasil de 2011 pelo Vasco, como treinador)

Mauro Galvão: zagueiro (Campeão da Copa Libertadores da América de 1998, da Copa Mercosul de 2000, do Brasileiro de 1997, 2000, do Carioca de 1998, da Taça Guanabara de 1998, 2000, da Taça Rio de 1998, 1999 e do Torneio Río São Paulo de 1999, pelo Vasco)

Dunga: volante (Campeão do Carioca de 1987 pelo Vasco)

Tita: meia (Campeão do Brasileiro de 1989, do Carioca de 1987, da Taça Guanabara de 1987, 1990, do Troféu Ramon de Carranza de 1987 e da Copa Ouro de 1987)

Bismarck: atacante (Campeão Brasileiro de 1989, do Carioca de 1988 1992, 1993, da Taça Guanabara de 1990, 1992, da Taça Rio de 1988, 1992, 1993, pelo Vasco)

Silas: atacante (Campeão Carioca de 1994 pelo Vasco)

Acácio: goleiro (Campeão Brasileiro de 1989, do Campeonato Carioca de 1987, 1988, da Taça Guanabara de 1986, 1987, 1990, da Taça Rio de 1984, 1988, da Copa TAP de 1987, da Copa Ouro de 1987 e do Troféu Ramon de Carranza de 1987, 1988, 1989, pelo Vasco)

Romário: atacante (inúmeros títulos pelo Vasco, clube pelo qual foi homenageado após atingir a marca de 1000 gols na carreira, na vitória do Vasco contra o Sport (PE), em jogo ocorrido em 20/05/2007.

Bebeto: atacante (campeão brasileiro de 1989 com o Vasco da Gama)

Renato Gaúcho: atacante (Vice Campeão da Copa do Brasil de 2006 como Treinador do Vasco)

Mazinho: lateral esquerdo (Campeão Brasileiro de 1989, do Campeonato Carioca de 1987, 1988, da Taça Guanabara de 1986, 1987, 1990 e da Taça Rio de 1988 pelo Vasco)

Ricardo Rocha: zagueiro (Campeão Carioca de 1994 e da Taça Guanabara de 1994 pelo Vasco)

Sebastião Lazaroni: treinador (foi bicampeão do Campeonato Carioca, nos anos de 1987 e de 1988, com o Vasco da Gama)

Nelsinho Rosa: auxiliar técnico (treinou e foi campeão brasileiro de 1989 com o Vasco da Gama)

Copa 1994

Gilmar Rinaldi: goleiro (jogou pelo Combinado Vasco/Flamengo, em 1992, contra o Combinado Palmeiras/Corinthians)

Ricardo Rocha: zagueiro (Campeão Carioca de 1994 e da Taça Guanabara de 1994, pelo Vasco)

Ricardo Gomes: zagueiro (Campeão da Copa do Brasil de 2011 como Treinador do Vasco)

Mazinho: lateral esquerdo (Campeão Brasileiro de 1989, do Campeonato Carioca de 1987, 1988, da Taça Guanabara de 1986, 1987, 1990 e da Taça Rio de 1988, pelo Vasco)

Dunga: volante (Campeão Carioca de 1987 pelo Vasco)

Jorginho: lateral direito (Campeão Brasileiro de 2000, da Copa Mercosul de 2000, da Taça Guanabara de 2000 e da Taça Rio de 2001 como jogador do Vasco e da Taça Guanabara de 2016 e do Campeonato Carioca de 2016 como treinador do Gigante da Colina)

Zinho: meia (foi auxiliar técnico de Jorginho na campanha do título do Carioca de 2016, pelo Vasco)

Bebeto: atacante (Campeão Brasileiro de 1989, da Taça Guanabara de 1990, da Taça Adolpho Bloch de 1990, do Torneio de Verão RJ 1990 e do Torneio da Amizade de 1991, pelo Vasco)

Romário: atacante (Campeão da Taça Guanabara de 1986, 1987, 2000, da Taça Rio de 1989, 2001, do Campeonato Carioca de 1987, 1988, do Brasileiro de 2000, da Copa Mercosul de 2000, do Troféu Ramon de Carranza de 1987, 1988, da Copa Ouro, 1987, do Torneio Cidade de Juiz de Fora, 1986, 1987, pelo Vasco)

Viola: atacante (Campeão Brasileiro, da Copa Mercosul e da Taça Guanabara de 2000 e também da Taça Rio de 2001, jogando pelo Vasco)

Cobi Jones: lateral esquerdo (EUA): jogou no Vasco no período de 1995/1996, após a disputa da Copa do Mundo de 1994 pela Seleção dos EUA.

Copa 1998

Júnior Baiano: zagueiro (Campeão da Taça Guanabara, do Brasileiro e da Mercosul de 2000 e da Taça Rio de 2001)

Dunga: volante (Campeão Carioca de 1987 pelo Vasco, como jogador)

Carlos Germano: goleiro (Campeão Brasileiro de 1997, da Libertadores de 1998, do Rio São Paulo de 1999, do Carioca de 1992, 1993 e de 1994 (tricampeonato), da Taça Guanabara de 1992, 1994 e 1998, da Taça Rio de 1992, 1993, 1998, 1999)

Bebeto: atacante (Campeão Brasileiro em 1989, da Taça Guanabara, do Torneio de Verão RJ e da Taça Adolpho Bloch de 1990 e do Torneio da Amizade (1991)

Doriva: volante (como treinador do Vasco foi campeão carioca em 2015)

Zagallo: treinador; como treinador do Vasco venceu o Torneio Colombino (1980), a Taça Gustavo de Carvalho (1980), o Torneio Ilha de Funchal (1981), o Torneio João Havelange (1981), a Taça Ney Cidade Palmeiro (1981), a Taça Adolpho Bloch (1990) e o Torneio da Amizade (1991)

Cobi Jones: atacante (EUA), jogou pelo Vasco no período de 1994/1995, tendo atuado em apenas 4 jogos com a camisa Cruzmaltina, sendo o jogador que mais jogou pela Seleção dos EUA na história.

Copa 2002

Juninho Paulista: meia (Campeão Brasileiro e da Copa Mercosul de 2000 jogando pelo Vasco)

Edilson: atacante (atuou pelo Vasco no ano de 2006)

Luizão: atacante (Campeão Carioca, da Taça Guanabara, da Taça Rio e da Libertadores de 1998, da Taça Rio e do Rio São Paulo de 1999, jogando pelo Vasco)

Antônio Lopes: Coordenador técnico (como preparador físico do Vasco foi Campeão Brasileiro de 1974 e Carioca de 1977; como treinador foi Campeão Carioca de 1982, 1998 e 2003, Brasileiro de 1997, Rio São Paulo de 1999 e da Libertadores de 1998)

Copa 2006

Gilberto: lateral esquerdo (venceu, jogando pelo Vasco, os títulos Brasileiro, da Mercosul e da Taça Guanabara de 2000 e a Taça Rio de 2001)

Juninho Pernambucano: meia (Campeão Brasileiro de 1997 e 2000, da Libertadores de 1998, Carioca de 1998, Taça Guanabara de 1998 e 2000, Taça Rio de 1998 e 1999, do Rio São Paulo de 1999 e da Mercosul de 2000, como jogador do Vasco)

Copa 2010

Gilberto: lateral esquerdo (Campeão Brasileiro de 2000, da Copa Mercosul de 2000, da Taça Guanabara de 2000 e da Taça Rio de 2001, como jogador do Vasco)

Luís Fabiano: atacante (Campeão da Taça Rio de 2017, como jogador do Vasco)

Dunga: treinador (foi Campeão Carioca de 1987, como jogador do Vasco)

Copa 2014

Martin Silva: goleiro (Uruguai), Bicampeão Carioca 2015/2016 (sendo o título de 2016 de forma invicta), da Taça Guanabara de 2016 e da Taça Rio de 2017 pelo Vasco.

Pinilla: atacante (Chile), jogou no Vasco da Gama no ano de 2008.

Copa 2018

Philippe Coutinho: meia (Campeão Brasileiro Série B 2009 pelo Vasco)

Fagner: lateral direito, Campeão Brasileiro Série B de 2009, da Copa da Hora de 2010 e da Copa do Brasil de 2011 pelo Vasco.

Martin Silva: goleiro (Uruguai), Campeão Carioca em 2015 e em 2016 pelo Vasco, sendo campeão, também, da Taça Guanabara de 2016 e da Taça Rio de 2017.

Iotun: lateral esquerdo (Peru), atuou pelo Vasco no ano de 2013.

Todas as taças internacionais em solo europeu conquistadas pelo Vasco

Total de 16 troféus

Década de 1930:

1 conquista

Copa Myrurgia (Espanha): 1931

Década de 1940:

1 conquista

Taça Centenários (Portugal): 1947

Década de 1950:

2 conquistas

Torneio de Paris (França): 1957 (status de mundial de clubes na época)

Troféu Teresa Herrera (Espanha): 1957

Década de 1970:

2 conquistas

Torneio de Sevilha (Espanha): 1979

Torneio de Elche (Espanha): 1979

Década de 1980

6 conquistas

Torneio Colombino (Espanha): 1980

Torneio Ilha de Funchal (Portugal): 1981

Torneio Ramon de Carranza (Espanha): 1987, 1988, 1989

Torneio de Metz (França): 1989

Década de 1990:

4 conquistas

Torneio de Zaragoza (Espanha): 1993

Torneio de Barcelona (Espanha): 1993

Torneio Palma de Mallorca (Espanha): 1995

Troféu Bortolotti (Itália): 1997

Curiosidades do Vasco

Antigamente existiam competições de primeiros e de segundos quadros, ou de times titulares e de times reservas (também chamados de aspirantes), no entanto até os dias de hoje quando uma equipe escala seu time reserva para algum jogo, a imprensa futebolista costuma falar que essa equipe jogará com o seu “expressinho”, ou seja, sem os seus titulares, mas o que quase ninguém sabe é que essa nomenclatura “expressinho” teve origem com o Expresso da Vitória do Vasco, aí quando o time B do Vasco jogava era o “Expressinho”.

A origem do salário de jogadores, no futebol brasileiro, surgiu com o Vasco, em uma época em que o futebol era ainda amador, os clubes eram amadores e os jogadores eram proibidos de serem remunerados. O “bicho”, expressão popular no futebol, que hoje se utiliza para premiações por conquistas, também teve origem no Vasco.

Reza a lenda, no futebol brasileiro, que o termo “gandula” teria surgido por conta de um ex jogador do Vasco, Bernardo Gandulla, que tinha como hábito pegar a bola, do lado de fora do campo de jogo, para repô-la novamente ao jogo, quando o referido jogador estava no banco de reservas do Vasco.

O lance de “bicicleta” foi imortalizado por um ex jogador do Vasco, Leônidas da Silva, conhecido como Diamante Negro, que deu origem ao famoso chocolate Diamante Negro.

O primeiro gol olímpico marcado no futebol brasileiro foi anotado por um jogador vascaíno, Santana.

O gesto de erguer a taça depois de um título foi criado pelo jogador Bellini, jogador vascaíno campeão do mundo em 1958 com a Seleção Brasileira e também capitão da equipe. Hoje, de costume, todos os capitães repetem esse gesto ao serem campeões por seus clubes ou seleções.

O nome oficial do Estádio de Futebol do Vasco é Estádio Vasco da Gama, que ficou popularmente conhecido por São Januário, por estar situado no entorno da Rua São Januário, no Bairro Vasco da Gama, no Rio de Janeiro, já tendo sido palco de desfiles de escolas de samba, de comemorações do Dia do Trabalho e da Independência do Brasil (com a presença do Presidente Getúlio Vargas), de apresentações de Heitor Villa-Lobos, de discurso de Luiz Carlos Prestes, do Sulamericano de Seleções de 1949 (uma das sedes) e também foi utilizado como campo de treinamento na Copa do Mundo de 2014, bem como foi uma das sedes do futebol nos V Jogos Mundiais Militares, no ano de 2011.

O Vasco foi o primeiro clube brasileiro a aceitar em seus quadros jogadores mulatos e operários, tendo tido um importante papel na luta contra o racismo no futebol brasileiro, num movimento que ficou conhecido como “Resposta Histórica”, através do documento datado de 07 de Abril de 1924, encaminhado pelo Vasco à Associação Metropolitana de Esportes Atléticos (AMEA), entidade formada pelo Flamengo, Fluminense, Botafogo, América e Bangu.

O Vasco foi o primeiro clube carioca a possuir um estádio de futebol (1927) e o primeiro clube carioca campeão no Maracanã (1965), primeiro clube carioca campeão brasileiro (1974), sulamericano (1948) e o primeiro a ter status de melhor do mundo, em 1957, após uma brilhante vitória diante do poderoso e temido Real Madrid, bicampeão europeu, no Estádio Parc de Princes, em Paris, França, no primeiro Torneio de Paris (1957), sendo também o primeiro clube brasileiro campeão do Tereza Herrera na Espanha (1957).

Vasco foi também o primeiro clube brasileiro a excursionar à Europa.

O Vasco é o clube brasileiro com mais títulos de taças/torneios disputados na Europa, um total de 15.

Time brasileiro que mais venceu equipes européias, 119 vitórias.

O primeiro gol da história do Vasco foi marcado por um jogador português, Adão Antônio Brandão, sendo que o nome do Clube é em homenagem ao navegador português, Vasco da Gama. Clube de origem portuguesa e o primeiro gol feito na história do clube anotado por um jogador português.

O Vasco foi o primeiro clube brasileiro a eleger um presidente negro, em 1904, Cândido José de Araújo.

Vasco: time brasileiro com maior projeção internacional

O Vasco já enfrentou equipes de 63 países diferentes(*), de todos os continentes

América do Sul (10)

Equipes do Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Chile, Colômbia, Venezuela e Curaçao (Antilhas Holandesas)

Europa (26)

Equipes de Portugal, Finlândia, Iugoslávia, Noruega, Espanha, República Tcheca, Inglaterra, Alemanha Oriental, Áustria, Romênia, Escócia, URSS, Bélgica, Hungria, Turquia, Grécia, Sérvia, Holanda, Itália, Suíça, Suécia, Alemanha, França, Ucrânia, Rússia e Dinamarca

América do Norte (2)

Equipes dos EUA e México

América Central (4)

Equipes da Guatemala, Costa Rica, El Salvador e Suriname

África (11)

Equipes da Costa do Marfim, Gana, Nigéria, Sudão, Argélia, Camarões, Zaire, Senegal, Angola, Gabão e Marrocos

Oriente Médio (4)

Equipes do Kuwait, Israel, Arábia Saudita e Emirados Árabes

Ásia (5)

Equipes do Japão, Tailândia, Índia, Coréia do Sul e Vietnã

Oceania (1)

Equipe da Austrália

*Esta lista inclui jogos do Vasco contra combinados, clubes e seleções.

Vasco da Gama, principais denominações

Time do Povo (origem popular, negros e operários)

Camisas Negras (década de 1920)

Expresso da Vitória (timaço dos anos 1940/1950, de 1944 a 1953)

Selevasco (final dos anos 1980, 1987, 1988, 1989 e início dos anos 1990, até o tricampeonato Carioca 1992, 1993, 1994)

Vascão vira vira: (desde os anos 1920, o Vasco já tinha a fama de time que conseguia viradas históricas, nos seus jogos, recebendo ao longo da sua história vários apelidos, como Vascão vira vira)

Time da Virada (é só lembrar da virada histórica, na Mercosul de 2000)

Time do Amor (“O Vasco é o time da virada, o Vasco é o time do amor”)

Trem Bala da Colina (ano de 2011)

Gigante da Colina (O Estádio de São Januário, situado na colina, no Bairro Vasco da Gama, no Rio de Janeiro, tem uma bela vista para o Cristo Redentor)

Time da Cruz de Cristo

Cruzmaltino

Caravela Cruzmaltina

Almirante Português

Bacalhau

Time da Fuzarca

Time da Casaca

Machão da Gama

Vascão

Goleadas do Clássico Vasco x Flamengo

Goleadas do Vasco (27, sendo 21 por 3 ou mais gols de diferença)

1928: 3 x 0

1929: 4 x 1

1931: 7 x 0

1934: 5 x 2

1938: 5 x 3

1944: 5 x 2

1945: 5 x 1

1946: 4 x 3

1947: 5 x 2

1949: 5 x 2

1950: 4 x 1

1953: 5 x 2

1955: 3 x 0

1965: 4 x 1

1967: 4 x 3

1967: 4 x 0

1967: 3 x 0

1975: 4 x 2

1977: 3 x 0

1979: 4 x 2

1985: 4 x 0

1992: 4 x 2

1996: 4 x 1

1997: 4 x 1

2000: 5 x 1

2001: 5 x 1

2007: 3 x 0

Goleadas do Flamengo (26, sendo 20 por 3 ou mais gols de diferença)

1927: 3 x 0

1934: 4 x 1

1938: 5 x 1

1938: 5 x 2

1939: 6 x 4

1939: 3 x 0

1939: 4 x 0

1940: 3 x 0

1943: 6 x 2

1945: 4 x 3

1954: 4 x 1

1954: 4 x 1

1957: 4 x 1

1957: 4 x 1

1961: 3 x 0

1963: 4 x 3

1969: 3 x 0

1976: 4 x 1

1979: 4 x 2

1983: 3 x 0

1991: 3 x 0

1995: 4 x 2

2000: 3 x 0

2000: 4 x 0

2013: 4 x 2

2019: 4 x 1

Comparação Vasco x Flamengo

Principais conquistas do Vasco (27)

Melhor time do Mundo: 1957

Vice Mundial: 1956, 1998, 2000

Campeão Continental: 1948, 1998

Campeão da Copa Mercosul: 2000

Campeão Brasileiro: 1974, 1989, 1997, 2000, 2009 (Série B)

Campeão da Copa do Brasil: 2011

Campeão do Torneio Rio São Paulo: 1958, 1966, 1999

Campeão da Taça dos Campeões Estaduais Rio São Paulo: 1936

Campeão do Torneio Ramon de Carranza: 1987, 1988, 1989

Campeão do Tereza Herrera: 1957

Campeão Carioca Invicto: 1934, 1945, 1947, 1949, 1992, 2016

Principais conquistas do Flamengo (27):

Melhor do Mundo: 1981

Vice Mundial: 2019

Campeão Continental: 1981, 2019

Campeão da Recopa Sulamericana: 2020

Campeão da Copa Ouro: 1996

Campeão Brasileiro: 1980, 1982, 1983, 1992, 2009, 2019, 2020

Campeão da Copa do Brasil: 1990, 2006, 2019

Campeão do Torneio Rio São Paulo: 1961

Campeão da Taça dos Campeões Estaduais Rio São Paulo: 1955

Campeão do Torneio Ramon de Carranza: 1979, 1980

Campeão Carioca Invicto: 1915, 1920, 1979, 1996, 2011, 2017

Maior goleada do clássico: Vasco 7 x 0 Flamengo (1931)

Maior artilheiro do clássico: Roberto Dinamite, com 27 gols (Vasco)

Maior série invicta: Vasco (23 jogos sem derrota, com 17 vitórias e 6 empates (de 13/05/1945 a 25/03/1951)

Maior série de vitórias consecutivas: Vasco (8 vitórias seguidas, de 19/07/1947 a 13/11/1949)

Time com mais goleadas no clássico: Vasco (27) x Flamengo (26)

Time com mais vitórias no Clássico: Flamengo, mais de 10 vitórias de vantagem

Tira teima quem é melhor:

Vasco:

27 títulos importantes + maior goleada do clássico + maior artilheiro do clássico + maior série invicta + maior série de vitórias consecutivas + time com mais goleadas no clássico=32

Flamengo

26 títulos importantes + time com mais vitórias no clássico=27

Total:

Vasco 32 x 27

(Vasco melhor que o Flamengo)

Duplas invictas na Seleção Brasileira, em jogos oficiais

Garrincha e Pelé, Roberto Dinamite e Zico e Bebeto e Romário, três duplas que nunca perderam jogando juntos pela amarelinha (Seleção Brasileira), em jogos oficiais, todos os seis vestiram a camisa do Vasco ao menos uma vez. Único clube do mundo em que estes seis craques jogaram ao menos uma vez; sete craques, incluindo a jogadora Marta, no futebol feminino.

Títulos do Expresso da Vitória (de 1944 a 1953)

Sulamericano de Clubes Campeões (CHILE): 1948

Torneio Início do Campeonato Carioca: 1944, 1945, 1948

Campeonato Carioca: 1945, 1947, 1949, 1950, 1952

Campeonato Carioca de Segundos Quadros, de Aspirantes (ou de Reservas): 1946, 1947, 1948, 1949 (tetracampeão consecutivo)

Campeão do Torneio Municipal do Rio de Janeiro: 1944, 1945, 1946, 1947 (tetracampeão consecutivo)

Campeão do Torneio Relâmpago do Rio de Janeiro: 1944 e 1946

Campeão do Torneio Octogonal Rivadávia Côrrea Meyer (BRASIL): 1953

Campeão do Quadrangular Internacional do Rio (BRASIL): 1953

Campeão do Torneio Internacional de Santiago (CHILE): 1953

(22 títulos em 10 anos)