Jogadores com passagem pelo Vasco com nomes e apelidos curiosos (dos anos 1910 até os dias atuais)

Abel (Abelão), Acácio, Alcir Portela, Alex Pinho, Alfredo I, Alfredo II, Almir Pernambuquinho, Alvinho, Amaral, Antonico, Azul, Azziz, Badu, Bahia, Baianinho, Barata, Barbosinha, Barcheta, Birila, Bismarck, Bolão, Bráulio, Brener, Breno, Brilhante, Brun, Calocero, Camarão, Cano, Carnieri, Carreiro, Ceci, Célio Taveira, Charles Guerreiro, Chico, Chiquinho, Cocada, Conca, Cordeiro, Coronel, Cruz, Dacunto, Danilo Alvim (“O Príncipe”), Dedé, Delém, Dener, Dino, Dodô, Dominguinhos, Dudar, Écio, Elgen, Ely do Amparo, Edmur, Edmundo, Emeal, Ennes, Espanhol, Fantoni, Figliola, Feitiço, Filipe Alvim, Florindo, Fontana, França, Friaça, Fumagalli, Gabardinho, Galego, Gama, Gandulla, Geder, Genuíno, Gradim, Gringo, Guerrero, Igor Catatau, Ipojucan, Ita, Itália, Jaguaré, Jahu, João Pinto, Joãozinho, Jorginho Carvoeiro, Julio dos Santos, Juninho Paulista, Juninho Pernambucano (“O Reizinho”), Júnior Baiano, Katinha, Kuko, Laerte, Lamana, Lamego, Leão, Leitão, Léo Gago, Lelé, Lierte, Lindo, Lino, Livinho, Lola, Lorico, Lulu, Luna, Macula, Mamão, Maneca, Manga Escobar, Maranhão, Marcelinho Carioca, Maricá, Massinha, Mazaropi, Mazinho, Mingote, Mirim, Moacir II, Mola, Naninho, Nasa, Negrito, Nena, Neném, Nesi, Nicolau, Nicolino, Niginho, Nino, Noca, Nolasco, Novamuel, Odvan, Oitenta-e-Quatro, Oliveira II, Oncinha, Orlando Lelé, Ortunho, Oscarino, Osvaldo Baliza, Pacoti, Palamone, Palhares, Parede, Parodi, Paschoal, Pederneiras, Pepico, Petrônio, Pinga, Pipico, Pires, Pikachu, Poroto, Quarenta, Quarenta II, Queixada (Ademir de Menezes), Quinonez, Quintanilha, Rafagnelli, Rainha, Rei, Riascos, Roberto Dinamite, Roberto Pinto, Rodrigo Pimpão, Russinho, Russo, Sabará, Santo Cristo, Sá Pinto, Saulzinho, Sorato, Tato, Tatu, Tesourinha, Tiago Reis, Tião, Tinho, Tinoco, Tiriça, Tita, Torterolli, Tostão, Tuta, Vadinho, Valdir Bigode, Valfrido, Vasconcelos, Vavá, Vevé, Villadoniga, Vivinho, Zada, Zanata, Zarzur, Zé Maria, Zezinho, Walter “Válter” Marciano, Yótun.

Mais famosos trios vascaínos dos anos 1940

No início dos anos 1940, o Vasco tinha em seu time uma linha média que ficou famosa, composta por grandes jogadores, Dacunto, Figliola e Zarzur, os quais eram conhecidos como os “Três Mosqueteiros” do Vasco. Outro trio vascaíno famoso, nos anos 1940, ficou conhecido como “Os Três Patetas”, que jogavam na linha de frente, no ataque, o qual era formado pelos craques Lelé, Maneca e Jair Rosa Pinto, do lendário “Expresso da Vitória”.

Chocolate vascaíno, na casa do Botafogo

Em 24/01/2010, Dodô, “o artilheiro dos gols bonitos” e ex jogador do Botafogo, fez 3 gols em seu ex clube e foi o nome do jogo, junto com Philippe Coutinho, que fez 2 gols na partida (os primeiros pelo profissional do Vasco) e talvez o seu melhor jogo durante a sua passagem pelo Gigante da Colina, com apenas 17 anos de idade. O outro gol vascaíno foi de Léo Gago. Um 6 a 0 inesquecível, a segunda maior goleada do Clássico da Amizade.

Selevasco multiesportiva (equipe feminina)

Maurren Maggi (atletismo)

Inge de Brujin e Fabíola Molina (natação)

Sandra Soldan e Carla Moreno (triatlo)

Janeth Arcain (basquete)

Fernanda Venturini e Márcia Fu (vôlei)

Marta e Pretinha (futebol feminino)

Adriana Behar e Shelda (vôlei de praia)

Bia e Branca Feres, Carolina e Isabela de Moraes (nado sincronizado)

Dora Bria (windsurf)

Neymara Carvalho (bodyboard)

Fabiana Beltrame (remo)

Joana Cortez (tênis)

Chicória (handebol)

Selevasco multiesportiva (equipe masculina)

Adhemar Ferreira da Silva, Robson Caetano e Vanderlei Cordeiro de Lima (atletismo)

Djan Madruga e Gustavo Borges (natação)

Júnior Negão e Jorginho (futebol de areia)

Falcão e Vander Carioca (Futebol de 7/Society)

Manoel Tobias (futsal)

Nenê (basquete)

Roberto Dinamite e Romário (futebol)

Vaval (remo)

Giovane Gávio (vôlei)

Guilherme Tâmega (bodyboard)

Rodrigo Pessoa (hipismo)

Hugo Hoyama (tênis de mesa)

Robert Scheidt e Torben Grael(iatismo)

Sebastián Cuattrin (canoagem)

Vasco 3 x 2 Flamengo, placar de vitórias em 1981, no melhor ano da história do rubro-negro carioca

No ano em que o Flamengo foi campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes, em 1981, o Vasco conseguiu 3 vitórias sobre o rubro-negro carioca, em 17/05/1981 (1 a 0), em 29/11/1981 (2 a 0) e em 02/12/1981 (1 a 0). Já o Flamengo, venceu o Vasco em 07/06/1981 (1 a 0) e em 06/12/1981 (2 a 1), tendo ocorrido mais 1 empate, em 20/09/1981 (1 a 1). Freguesia flamenguista para o Gigante da Colina, no ano em que foram campeões da Libertadores da América e do Mundial de Clubes.