Vasco da Gama, clube carioca mais vezes entre os 4 primeiros colocados do Campeonato Brasileiro da Série B (futebol masculino)

Vasco da Gama: 3 vezes entre os 4 primeiros colocados (1 vez na primeira colocação em 2009, 2 vezes na terceira colocação, nos anos de 2014 e 2016);

Americano: 3 vezes entre os 4 primeiros colocados (3 vezes na quarta colocação, em 1988, 1991 e 1994);

Botafogo: 2 vezes entre os 4 primeiros colocados (1 vez na primeira colocação em 2015 e 1 vez na segunda colocação, no ano de 2003);

Campo Grande: 1 vez entre os 4 primeiros colocados (1 vez na primeira colocação, em 1982);

Goytacaz: 1 vez entre os 4 primeiros colocados (1 vez na segunda colocação, em 1985).

Dos 20 maiores públicos da história do Campeonato Brasileiro de Futebol Masculino (Série B), 5 foram em jogos com a presença do Vasco da Gama (RJ)

Maior público da história da Série B: 81904 torcedores no Maracanã/RJ, em 07/11/2009 (Vasco/RJ 2 x 1 Juventude/RS);

Segundo maior público da história da Série B: 79636 torcedores no Maracanã/RJ, em 22/08/2009 (Vasco/RJ 4 x 0 Ipatinga/MG);

Décimo quarto maior público da história da Série B: 56426 torcedores no Maracanã/RJ, em 26/11/2016 (Vasco/RJ 2 x 1 Ceará/CE);

Décimo quinto maior público da história da Série B: 56334 torcedores no Maracanã/RJ, em 22/11/2014 (Vasco/RJ 1 x 1 Icasa/CE);

Décimo sétimo maior público da história da Série B: 55445 torcedores no Castelão/CE, em 02/08/2016 (Ceará 0 x 0 Vasco/RJ).

O dia em que um OVNI sobrevoou uma partida do Vasco da Gama (RJ)

Pelo Campeonato Brasileiro (Taça de Ouro) de 1982, no dia 06 de março daquele ano, jogavam as equipes do Vasco (RJ) e Operário (MS), quando um OVNI foi avistado no Estádio Morenão e chamou a atenção dos que estavam ali presentes. O jogo terminou com vitória por 2 a 0 da equipe do Operário (MS) sobre a equipe vascaína. Curiosamente, na década de 1950, o Vasco teve um jogador chamado “Válter Marciano”, sendo que a palavra “marciano”, no dicionário, é associada ao Planeta Marte e às possíveis espécies de vida que poderiam habitar naquele planeta.

Todos os tripletes (hat-trick) da história do Vasco (década de 1950)

16/04/1950 – Amistoso (Vasco 5 x 0 Renner): Vasconcelos (3 gols);

07/09/1950 – Amistoso (Vasco 4 x 2 Noroeste): Ademir de Menezes (3 gols);

10/09/1950 – Carioca (Vasco 4 x 2 Bonsucesso): Ademir de Menezes (3 gols);

15/10/1950 – Carioca (Vasco 9 x 1 Madureira): Dejair (5 gols);

29/10/1950 – Carioca (Vasco 5 x 1 São Cristóvão): Dejair (3 gols);

19/11/1950 – Carioca (Vasco 4 x 0 Olaria): Ademir de Menezes (3 gols);

26/11/1950 – Carioca (Vasco 4 x 1 Flamengo): Ipojucan (3 gols);

10/12/1950 – Carioca (Vasco 7 x 2 Bonsucesso): Ademir de Menezes (3 gols);

17/12/1950 – Carioca (Vasco 4 x 2 Canto do Rio): Maneca (4 gols);

06/01/1951 – Carioca (Vasco 4 x 0 Fluminense): Ipojucan (3 gols);

24/02/1951 – Rio São Paulo (Vasco 3 x 4 Corinthians): Ademir de Menezes (3 gols);

29/04/1951 – Torneio Municipal (Vasco 6 x 0 Bonsucesso): Amorim (3 gols);

27/05/1951 – Amistoso (Vasco 8 x 4 Vitória/ES): Ipojucan (3 gols);

10/06/1951 – Amistoso (Vasco 5 x 0 Ferroviária): Friaça (4 gols);

05/07/1951 – Copa Rio Internacional (Vasco 5 x 1 Áustria Viena): Friaça (4 gols);

23/09/1951 – Carioca (Vasco 5 x 2 Madureira): Edmur (3 gols);

31/08/1952 – Carioca (Vasco 5 x 2 Bonsucesso): Edmur (3 gols);

07/09/1952 – Carioca (Vasco 6 x 2 Bangu): Maneca (3 gols);

01/02/1953 – Quadrangular Internacional do Rio de Janeiro (Vasco 3 x 3 Racing/ARG): Ademir de Menezes (3 gols);

01/03/1953 – Amistoso (Vasco 8 x 1 América/AM): Friaça (3 gols);

11/03/1953 – Amistoso (Vasco 9 x 3 Paysandu): Maneca (3 gols);

17/03/1953 – Amistoso (Vasco 5 x 0 Trem/AP): Friaça (3 gols);

22/03/1953 – Amistoso (Vasco 8 x 1 Ypiranga/BA): Sabará (3 gols);

19/07/1953 – Carioca (Vasco 6 x 0 Canto do Rio): Vavá (3 gols);

15/08/1953 – Carioca (Vasco 4 x 1 Botafogo): Maneca (3 gols);

18/10/1953 – Carioca (Vasco 6 x 1 Canto do Rio): Pinga (3 gols);

07/02/1954 – Amistoso (Vasco 4 x 0 Comunicaciones/GUA): Alvinho (3 gols);

09/05/1954 – Amistoso (Vasco 10 x 0 Argos Colatinense/ES): Vadinho (3 gols) e Naninho (3 gols);

12/09/1954 – Carioca (Vasco 4 x 0 Canto do Rio): Vavá (3 gols);

07/04/1955 – Amistoso (Vasco 4 x 0 Tuna Luso): Wilson Ramos (3 gols);

17/04/1955 – Rio São Paulo (Vasco 5 x 5 Corinthians): Vavá (3 gols);

04/05/1955 – Rio São Paulo (Vasco 4 x 1 Fluminense): Sabará (3 gols);

21/08/1955 – Carioca (Vasco 5 x 0 São Cristóvão): Válter Marciano (3 gols);

09/10/1955 – Amistoso (Vasco 6 x 1 América/AM): Sabará (3 gols);

06/11/1955 – Carioca (Vasco 8 x 0 Madureira): Pinga (3 gols);

12/08/1956 – Carioca (Vasco 4 x 1 Madureira): Livinho (3 gols);

15/09/1956 – Carioca (Vasco 3 x 2 Bonsucesso): Vavá (3 gols);

17/02/1957 – Amistoso (Vasco 3 x 1 São Paulo de Rio Grande): Válter Marciano (3 gols);

10/04/1957 – Amistoso (Vasco 6 x 4 Atlético Mineiro): Pinga (3 gols);

05/05/1957 – Amistoso (Vasco 8 x 0 Pastoral/MG): Almir Pernambuquinho (3 gols);

18/05/1957 – Rio São Paulo (Vasco 5 x 2 Portuguesa de Desportos): Pinga (4 gols);

19/06/1957 – Torneio Internacional do Morumbi (Combinado Vasco/Santos 6 x 1 Belenenses de Portugal): Pelé (3 gols);

23/06/1957 – Amistoso (Vasco 7 x 2 Barcelona/Espanha): Laerte (3 gols);

22/08/1957 – Amistoso (Vasco 5 x 0 Seleção de Colatina): Válter Marciano (3 gols);

23/01/1958 – Amistoso (Vasco 4 x 2 Quilmes/Argentina): Vavá (3 gols);

07/02/1958 – Amistoso (Vasco 8 x 1 São Paulo de Rio Grande): Livinho (3 gols);

13/03/1958 – Rio São Paulo (Vasco 6 x 1 Fluminense): Vavá (4 gols);

06/04/1958 – Rio São Paulo (Vasco 5 x 1 Portuguesa de Desportos/SP): Almir Pernambuquinho (3 gols);

11/05/1958 – Amistoso (Vasco 4 x 3 Toluca/México): Livinho (3 gols);

22/05/1959 – Amistoso (Vasco 11 x 0 Ostersund/Suécia): Pinga (3 gols) e Rubens (3 gols);

25/07/1959 – Carioca (Vasco 6 x 0 São Cristóvão): Almir Pernambuquinho (3 gols);

16/08/1959 – Carioca (Vasco 6 x 1 Bonsucesso): Pinga (3 gols);

23/08/1959 – Carioca (Vasco 4 x 2 Madureira): Pinga (3 gols);

21/11/1959 – Carioca (Vasco 5 x 2 São Cristóvão): Pinga (4 gols).