Clássico dos Milhões (maiores goleadores das décadas de 1920 à década de 2020, em andamento)

Maior goleador da década de 1920 (Clássico dos Milhões): Russinho (Vasco) (9 gols);

Maior goleador da década de 1930 (Clássico dos Milhões): Leônidas da Silva (Flamengo) (10 gols);

Maior goleador da década de 1940 (Clássico dos Milhões): Pirillo (Flamengo) (16 gols);

Maior goleador da década de 1950 (Clássico dos Milhões): Ademir de Menezes (Vasco) (11 gols);

Maior goleador da década de 1960 (Clássico dos Milhões): Célio Taveira (Vasco) (10 gols);

Maior goleador da década de 1970 (Clássico dos Milhões): Roberto Dinamite (Vasco) (19 gols);

Maior goleador da década de 1980 (Clássico dos Milhões): Bebeto (Flamengo) (12 gols);

Maior goleador da década de 1990 (Clássico dos Milhões): Edmundo (Vasco)(12 gols);

Maior goleador da década de 2000 (Clássico dos Milhões): Romário (Vasco) (9 gols);

Maior goleador da década de 2010 (Clássico dos Milhões): Vágner Love (Flamengo) (5 gols) e Bruno Henrique (Flamengo) (5 gols);

Maior goleador da década de 2020 (em andamento) (Clássico dos Milhões): Germán Cano (Vasco) (1 gol), Morato (Vasco) (1 gol), Léo Matos (Vasco) (1 gol), Talles Magno (Vasco) (1 gol), Bruno Henrique (Flamengo) (1 gol), Vitinho (Flamengo) (1 gol), Lucas Silva (Flamengo) (1 gol) e Léo Pereira (Flamengo) (1 gol).

Maiores goleadores do Clássico dos Milhões (década de 1950)

Ademir de Menezes (Vasco): 11 gols,

Índio (Flamengo): 10 gols,

Pinga (Vasco): 7 gols,

Rubens (Flamengo/Vasco): 7 gols (5 pelo Flamengo e 2 pelo Vasco),

Sabará (Vasco): 5 gols,

Evaristo (Flamengo): 5 gols,

Dida (Flamengo): 5 gols,

Ipojucan (Vasco): 4 gols,

Paulinho (Flamengo): 4 gols,

Esquerdinha (Flamengo): 4 gols,

Luís Carlos (Flamengo): 4 gols,

Maneca (Vasco): 3 gols,

Sílvio Parodi (Vasco): 3 gols,

Alvinho (Vasco): 3 gols,

Joel (Flamengo): 3 gols,

Benítez (Flamengo): 3 gols,

Henrique Frade (Flamengo): 3 gols,

Babá (Flamengo): 2 gols,

Roberto Pinto (Vasco): 2 gols,

Almir Pernambuquinho (Vasco): 2 gols,

Vavá (Vasco): 2 gols,

Adãozinho (Flamengo): 2 gols,

Alfredo dos Santos (Vasco): 2 gols,

Pelé (Vasco): 1 gol,

Cidinho (Flamengo): 1 gol,

Lero (Flamengo): 1 gol,

Tesourinha (Vasco): 1 gol,

Hermes (Flamengo): 1 gol,

Jansen (Vasco): 1 gol,

Aloísio (Flamengo): 1 gol,

Beto (Flamengo): 1 gol,

Jadir (Flamengo): 1 gol,

Edmur (Vasco): 1 gol,

Eli (Vasco): 1 gol (contra),

Friaça (Vasco): 1 gol,

Chico (Vasco): 1 gol,

Bellini (Vasco): 1 gol (contra),

Naninho (Vasco): 1 gol,

Zezinho (Flamengo): 1 gol,

Válter Marciano (Vasco): 1 gol,

Wilson Moreira (Vasco): 1 gol,

Zagallo (Flamengo): 1 gol,

Delém (Vasco): 1 gol,

Moacir (Flamengo): 1 gol,

Pacoti (Vasco): 1 gol.

Desde o primeiro Vasco e Flamengo, em 1922, em apenas 3 anos não houve o Clássico dos Milhões

Desde o primeiro Vasco e Flamengo, em 1922, em apenas 3 anos não houve o Clássico dos Milhões, nos anos de 1924, 1935 e 1936. Nesses anos, o Campeonato Carioca teve 2 campeões. Em 1924, o Vasco foi campeão pela LMDT (Liga Metropolitana de Desportos Terrestres) e o Fluminense pela AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Atléticos). Em 1935, o Botafogo foi campeão pela Federação Metropolitana de Desportos (FMD) e o América pela Liga Carioca de Futebol (LCF). Já no ano de 1936, o Vasco foi campeão pela Federação Metropolitana de Desportos (FMD) e o Fluminense pela Liga Carioca de Futebol (LCF). Por conta, da existência de mais de um Campeonato Carioca por ano (em 1924, 1935 e em 1936), Vasco e Flamengo acabaram não se enfrentando nesses anos.