Os chapéus históricos

Os três chapéus de Vivinho contra a Portuguesa (SP), no Campeonato Brasileiro de 1988, o gol mais bonito da história de São Januário, literalmente um “gol de placa”, tendo sido o jogador homenageado com uma placa, em São Januário, pelo belo gol.

O chapéu de Romário no goleiro Zé Carlos, pelo Campeonato Carioca de 1988, um dos gols mais plásticos da história do Maracanã.

O chapéu de Roberto Dinamite sobre o zagueiro do Botafogo em jogo válido pelo Campeonato Carioca de 1976, para muitos o gol mais bonito da história do Maracanã, que ficou conhecido como o “gol do lençol em Osmar”.

Três belos gols de chapéu ou chapéus, dois belíssimos gols no ano de 1988, que foi um ano de gols memoráveis para a torcida do Vasco e o outro belíssimo gol, no ano de 1976.