Pelé e o seu amor pelo Vasco

O pai de Pelé, João Ramos do Nascimento, jogava com um jogador chamado Marinho, que depois foi para o Vasco. Então, desde a infância, Edson Arantes do Nascimento, ou simplesmente Pelé, declara o seu amor pelo Vasco, que tem a sua torcida desde cedo, que foi reafirmada recentemente e virou notícia mundial. Pelé, como ele próprio já falou, é muito grato ao Cruzmaltino também, porque foi no Gigante da Colina que ele apareceu na vitrine nacional, em um Maracanã lotado, participou de um combinado Vasco/Santos, em 1957, ainda com 17 anos de idade, onde fez 5 gols com a camisa vascaína (sendo um dos gols contra o time do Flamengo) e logo após foi convocado para a Seleção Brasileira e depois daí, o resto da história todo mundo já conhece, três títulos mundiais da FIFA pelo Brasil e se tornaria o melhor futebolista de todos os tempos e o atleta do século, o mais popular do esporte mais popular do mundo. A origem do nome Pelé veio, de acordo com a história contada pelo próprio craque, por conta de um jogador que se chamava Bilé, colega de time do seu pai, no Vasco de São Lourenço, de Minas Gerais, que era goleiro da equipe e despertava uma grande admiração no garoto que sonhava ser um dia jogador de futebol, como todo brasileiro sonha em algum momento da vida. Daí, nos elogios ao goleiro saía um “Boa, Bilé”, que pelo seu sotaque se entendia, “Boa Pilé”, sendo que no Brasil a letra “i” muitas vezes na fala fica com som da letra “e”, dali em diante o apelido do menino viraria “Pelé”, o qual participou da inauguração do Estádio Vasco da Gama ou São Januário (como o caldeirão vascaíno se tornou conhecido), do verdadeiro time do povo brasileiro, do Clube de Regatas Vasco da Gama, que construiu seu próprio estádio com a ajuda de sua torcida, como uma das exigências dos times da elite carioca da época, que dentre outras exigências não queriam aceitar os jogadores negros e operários do Vasco no campeonato do Rio de Janeiro, exigência essa que o Vasco não aceitou, por meio de um manifesto escrito de repúdio, que ficou conhecido como “Resposta Histórica”, que foi fundamental para a popularização do esporte no país, independentemente da condição econômica, social ou da cor da pele, sendo que a primeira grande equipe vascaína foi merecidamente reconhecida como “camisas negras”. Então, Pelé torce para o clube que não tem em sua história esportiva a prática do racismo, da exclusão, mas sim da igualdade de oportunidades, da inclusão social pela prática esportiva. Pelé também fez o milésimo gol da sua carreira em um jogo entre Vasco e Santos, no Maracanã, que também entrou para a história. A relação do artista da bola “Pelé” com o Vasco é, pois, de muito reconhecimento, admiração e amor.