“Vasco da Gama, religião”

O Clube de Regatas Vasco da Gama tem fortes raízes espirituais e religiosas, em um país de grande tradição cristã e católica. A Cruz de Cristo, da Caravela de Vasco da Gama, representa o sofrimento de Jesus Cristo na cruz, mas principalmente a sua glória pela ressurreição e era comumente estampada nos navios lusos, para proteção nas longas e solitárias viagens marítimas, na época das grandes navegações portuguesas. Já a Capela localizada dentro do Estádio de São Januário (Estádio Vasco da Gama), representa a devoção a Nossa Senhora (Nossa Senhora das Vitórias), padroeira do clube. O Estádio de São Januário, como é popularmente conhecido, remete ao Santo da Igreja, São Januário, que foi bispo na Itália e após a sua santificação, passou a ser considerado como o protetor da peste. Outro santo relacionado à história do clube, é São Cristóvão (que significa aquele que carrega Cristo e é o Santo protetor da peste e dos viajantes, protetor dos raios e das tempestades), que dava nome ao bairro do Estádio de São Januário, que por conta de alteração legislativa, passou a se chamar Bairro Vasco da Gama. O Estádio do Vasco, que já sediou uma grande missa campal, para milhares de pessoas, tem, inclusive, uma bela vista para o Cristo Redentor, que é uma referência significativa da fé do povo carioca e brasileiro.

O histórico 7 a 1

Para a torcida do Vasco, o 7 a 1 não tem qualquer relação com a derrota da Seleção Brasileira por esse placar na Copa do Mundo de 2014, para a Alemanha. Falar do 7 a 1, para o vascaíno, faz relembrar o jogo histórico ocorrido em 25/11/2001, em São Januário, em que o Vasco aplicou um 7 a 1 histórico para cima do São Paulo, de Rogério Ceni (o maior goleiro artilheiro da história), Kaká (que foi o melhor jogador do mundo em 2007, tendo ficado conhecido como o “príncipe” Kaká, durante a sua carreira como jogador de futebol), Luís Fabiano (que ficou conhecido em sua carreira futebolista como o “fabuloso”) e França (um dos maiores goleadores da época). Já o Vasco, contava também com vários jogadores experientes, dentre eles, Hélton, Gilberto, Euller e Romário, que fez 3 gols na partida. Um jogo memorável, a maior goleada da história do Clássico entre Vasco e São Paulo.